sábado, 18 de julho de 2009

Gripe A

Dizer que a gripe do porquinho foi motivo de preocupação desde que foi descoberta é uma grande mentira, pelo menos pra mim. Aquela coisa de "ah, tá lá na terra do Tio Sam, eles que são ianques que se virem" e pererê parará. Porém, em certo momento, a xenofobia teve de dar lugar à compaixão, porque o tal H1N1 foi parar no México, Canadá, e logo já tava fazendo as primeiras vítimas da Europa.

Até aí tudo bem. Aliás, tudo péssimo. E o pior era ficar com a certeza que com esse mundo globalizado, um empresário ou seja lá quem fosse viajaria pra um lugar de risco e traria a doença. Não demorou. Logo, aqui em Sampa, já se falava em máscaras e poderíamos ver indivíduos usando-as no ônibus, por exemplo.

Cerca de três semanas atrás, umas nove e tantas da noite, o excelentíssimo ministro da saúde que não gravei o nome fez um pronunciamento, no qual ele repeiu oito vezes que o Brasil estava preparado pra essa pandemia. Tínhamos medicamentos suficientes pra nove milhões de pessoas e tudo o mais. Bom, se isso fez alguém dormir tranquilo, em mim não teve o efeito desejado. Esse pronunciamento não foi pra alertar, acabou por ser uma tranquilização de nervos.

Uma semana depois, noticia fresca e um caminhoneiro morreu lá no Rio Grande do Sul. Mais uma vez, afirmaram que não havia risco, havia sido apenas uma morte. Maldita boca. Dias depois, os jornais não paravam de noticiar as mortes em Osasco, São Paulo, cidades-fronteira lá do Sul.

Eu com isso? Eu estudo muito perto do Hospital das Clínicas, que, por ser um centro renomado de infectologia, tá tratando da grande maioria dos contaminados de Sampa. Osasco é grudada com Taboão da Serra, cidade onde moro. Todos os dias, pego um ônibus lotado até o teto de gente que vem de todos os cantos da cidade, inclusive áreas infectadas. E muitos não usam máscara. Ou seja, tô propensa por todos os lados de contrair a gripe A.

Se posso fazer algo com isso a não ser usar máscara? Não. Absolutamente nada. Porém, queria dar o meu berro pro ministério da saúde: porque, ao invés de dizer "que tá tudo sobre controle", "que estramos preparados" e tudo mais, vocês não mandam a real? Tipo, cuidado, protejam-se, a gente pode cuidar de alguns casos, mas não de todos, tentem evitar lugares públicos, previnam-se como puderem... Não, não. Eles preferem dizer que everything is gonna be all right.

Vou dizer, não tá tudo bem não. Não é nada legal ver uma amiga sua com suspeita de estar contaminada, com uns trinta e nove graus de febre, esperar o dia todo pra ser atendida no hospital e, no fim, eles dizerem que não estão aptos a fazer o exame tira-teima.

Brasil, você não está preparado para a batalha contra a gripe A.

E tenho dito.

Espirro e bato a porta.

12 comentários:

Yuri Kayel disse...

Vou inaugurar aqui os comentários dessa tua postagem Sammy :¬)

Bem, sejamos sensatos aqui poxa.

O ministro lida com 180 milhões.

Ele JAMAIS dirá o que é mais sensato. JAMAIS. O motivo mais simples e lógico é que o povo não quer o mais sensato pois o mesmo não sabe agir pensadamente.

Acho que uma prova disso, sem querer te depreciar nem nada, é que você mesma não abordou essa possibilidade na sua postagem.

Quem você acha que SABE lidar com a situação? 1% da população? Esses, com ou sem declaração, sabem como agir, os outros mais se portam como gado.

O que acho que deve se destacar aqui é que muita gente aí fora se acomoda com a proposta de "Governo do Estado de São Paulo. Trabalhando por você!", com a idéia de um sistema que existe do povo para o povo. Se existisse tudo seria muito diferente.

O problema do ser humano nesse ponto é não reconhecer a própria bestialidade, os animais que nós de fato somos tanto quanto qualquer outro.

Sendo incapazes de reconhecer isso que as pessoas se levam por ilusões como a de que o governo deve tudo ao povo. Na teoria deve, mas essa teoria é a mesma que acredita que o ser humano não é um animal.

Fato, não é como os outros mas também não é racional. Vivemos de comida e sexo tanto quanto os marsupiais e insetos, etc.

Então, no resumo da ópera vem aquela frase nihilista: "Você nasce só e morre só." ou, se preferirem uma analogia, saibam que a Caverna de Platão se aplica a todos nós. No fim não sabemos de fato. Ou você BUSCA saber ou fica de quatro, arranca um tufo de grama do chão e começa a mastigar.

O resto é silêncio e espero que peguem a idéia geral. Não dá pra explicar demais.

Aliás, sim, isto é uma reclamação e uma crítica que em alguns pontos pode ou não se aplicar ao Disparos Mentais. Outras virão :¬P

Philip Rangel disse...

tbm achu...mas serA???

Lucas Branco disse...

a gripe começou no México na verdade. bom texto, mais um desabafo, né?

escrever assim arranca algumas dores no peito.


graça e paz.

Bertonie disse...

Bom, não é só o Brasil, né beibe?! A saúde dos Estados Unidos é motivo de vergonha para os norte-americanos e blá. O mundo enfim não está preparado para uma epidemia global. Que venha o apocalipse.

Desarranjo Sintético disse...

Bom, claro que você tem uma certa razão. Afinal por masi que tenhamos métodos para controlar e prevenir porque não espalhar a bem-sucedida prevenção-por-nós-mesmos? Afinal é melhor prevenir do que remediar, ou no caso da gripe A, morrer. Um motoboy conhecido disse que a filha dele tá com febre alta e o único hospital da capital do RS a cuidar de casos de suspeita da gripe A estava lotado então ele preferiu pagar uma consulta particular...isso é um absurdo não? E passa bem longe mesmo do que o ministro falou....aff. Ninguém merece né?

Abraços.
Fábio.

ZalinsQ disse...

a questao é muito complexa

kkkkkkk

Yuri Kayel disse...

Acho que o ZalinsQ disse tudo sem dizer nada.

Estamos aqui falando de algo cujo nosso conhecimento a respeito é desconsiderável.

O que fazer então?

Philip Rangel disse...

Todos os dias deviam ser DIA DOS AMIGOS...

pois eles que fazem nossa historia...

por isso eu e em nome do Entrando Numa Fria venho desejar essa amizade que vc vem nos passando a tempos...

grande abraço

Pirulito que Bate-Bate disse...

Oi!
Em primeiro, esse nome que eles colocaram, gripe A, foi só pra dar uma enrrolada nas pessoas e falar "gripe suina." tudo á mesma coisa. espero que agente passe logo por essa crise! E temos chance.
Beijos.

E.Suruba disse...

miss piggy não gosta da gripe suína

Marcel Hartmann disse...

Gente, é só uma gripe!

ahm, oi

Daniel Savio disse...

Infelizmente, não é só para um gripe que o Brasil não esteja preparado (se tivesse preparados como povo para eleger os nossos candidatos, estariamos preparados para realmente ser um Brasil digno de se viver)...

Fiquem com Deus, menina Sam e galera.
Um abraço.