sábado, 28 de novembro de 2009

Eu não moro no mato.

Há mais ou menos um mês, minha mãe (que trabalha no aeroporto da cidade como agente da TAM), chegou em casa dizendo que a equipe do "Caldeirão do Huck" desembarcou aqui. OH! Uma equipe da TV Globo em Santarém, uma pacata cidade no interior do Pará? Vieram bem gravar desgraça, porque toda vez que aparece o Pará na Globo, é só queimada. Enfim, um tempo depois ela veio dizendo que quem chegou dessa vez foi o próprio Luciano Huck. A notícia se espalhou pela cidade com o rumor de que um quadro do programa seria gravado aqui. De fato, foi gravado sim. E todos da cidade, surpresos, estavam alvoroçados com o fato da nossa pequena cidade aparecer na globo assim. Logo todo mundo ficou sabendo que o quadro que veio ser gravado foi aquele "Aventura em Família", em que uma família bem urbana é mandada pra um lugar isolado, geralmente pro meio do mato. Rá!

Todos esperavam ver as belezas da cidade serem mostradas, e quando, no sábado passado, o programa passou, ninguém saiu de suas casas, todos estavam reunidos querendo ver a nossa cidade sendo mostrada na TV. O programa começou, e aqui em casa todo mundo correu pra a TV. O que foi mostrado da cidade? A escada da frente do aeroporto, o saguão do hotel mais caro daqui, os camelôs na frente da cidade, e por último, mostrava eles no trapiche da cidade entrando em um barco indo pra uma comunidade ribeirinha próxima. E de resto? Nada. Nem as queimadas. Todo mundo ficou decepcionado com o que foi mostrado. De resto, só apareceu mato, bichos, canoa, casas de madeira e a beira do rio. Até Alter-do-Chão, considerado o caribe brasileiro, não apareceu direito. Só apareceu a areia e uma pessoa chutando a água teatralmente.

Depois, uns amigos no MSN vieram comigo fazer perguntas como: "Você vai de barco pra escola?" ou "Aonde você usa internet? Pensei que aí não tivesse energia elétrica."

Isso realmente me deixa muito chateado, e tenho certeza que chateia muita gente daqui também. Eu fico abismado com o número de pessoas que ainda pensa que aqui só tem mato, índios e animais, que os alunos vão de barco pro colégio e todos dormem em redes. Morei em São Paulo uns 3 anos, e muita gente quando sabia que eu era paraense se perguntava por que eu sou branco, e não indígena.

Eu não moro na capital, mas na minha cidade tem casas, prédios, gente de todas as raças, internet em casa, roupas cool, luz elétrica, celulares, universidades, escolas decentes, cemitérios, boates, camas, pizzarias, restaurantes japoneses, um mini shopping e até lojas da Carmen Steffens (rs). As pessoas que não conhecem, se tornam ignorantes nesse ponto por causa da mídia, que não mostra o lado urbano daqui, deixando que pensem que aqui é terra de gente pobre e selvagem que mora em palafitas e dorme na rede.

Temos, sim, uma natureza imensa e linda, que infelizmente muita gente não valoriza, e minha cidade é de frente pra um rio e cercada de floresta, como todas as das cidades daqui, mas somos um povoado normal, cercado de informação e modernidade também. Temos tudo o que um ser humano precisa e não precisamos recorrer o tempo todo a cidades grandes, e é isso que (pelo menos) eu queria que todo mundo reconhecesse.

É só isso :D

13 comentários:

@philipsouza disse...

Mas sera as vezes somos limitados por essa interatividade....

Daniel Savio disse...

Aff, por isso que nem tenho visto mais televisão...

Só passa besteira e mancanda...

Penso que só os desenhos salvem...

Fique com Deus, menino Athos.
Um abraço.

living in a off world disse...

www.naoeumafestanoseua.blogspot.com

Rívia Petermann disse...

Eei

Adorei o protesto!
adooro a mídia,e todo seu envolvimento,mas que mania de minimização é essa???
sinceramente acho que quadros de programas como este deviam incentivar a parte boa das coisas,e não a mínima,´pois isso é mesquinhagem...

Briigada pela visita!
beejoo

Gabi disse...

Realmente vc não é a primeira pessoa que faz um protesto desse tipo... Ha pouco tempo fiz uma viagem por lugares proximos dai... qdo voltei me fizeram extamente esse tipo de pergunta...
Assino em baixo do seu protesto..
Concordo que a midia diminui a mentalidade das pessoas!

Abç!

Ágatha Alves disse...

Vou te falar uma coisa. Adoro cidades assim com arborização natural, aquele ar mais limpo, chega e mais gostoso andar por ai.
Mas é isso, hoje em dia vivemos em um mundo onde as pessoas se sentem dependente da tv apra acharem que conhecem certos lugares e acabam sendo ignorantes einfelizes em certos comentarios, realmente ridiculo.
E sabe, n seria diferente, assim como esses programas de tv semrpe fazem, mostram o que eles querem, e transparecem o que eles querem, e as pessoas tontas q assisnstem acabam pensando isso, santa paciencia.
Beijos

C.Fazollo disse...

ah poisé, eu tenho uma amiga que foi morar em São Gabriel da Cachoeira, lá no Amazonas, e antes de ela ir a gente ficava zuando que ela ia ter que brincar com os índios e morar no meio do mato, e essas coisas que a gente sempre pensa que é o Amazonas. Mas agora que ela mora lá, ela disse que nem é tão diferente daqui, e que Manaus mesmo é cidade grande igual São Paulo. Aí que eu falo, essa mídia é completamente mentirosa, eu não ligo mais a televisão - a não ser pra ver um filme -, e tento não julgar as coisas antes de conhecer, mas é meio difícil depois de passar sua vida sendo bombardeada com essas informações falsas.

Tiffany disse...

por essas e outra eu não assisto tv!

Maldito disse...

Sou carioca, e to morando a quase 2 anos no Acre, passo por esse tipo de problema e perguntas estupidas tambem,..hahaha
muito excelente!

Arthur Alter L. disse...

Oi Paulo,
Estou te convidando pra visitar: http://toaquivocetambem.blogspot.com/2009/12/flash-mob-postagem-coletiva.html - conheça o blog do Jay e participe da postagem coletiva que vai rolar na blogosfera no próximo findi vao ser mais de 100 blogs falando tudo sobre música, e vc pode participar também. Se informe e participe com a gente e convide seus amigos pra participarem também vai ser mara.
Abraço

Mαrih Menezes; disse...

E você está certo. A cada dia que passa só vejo a mídia distorcer as coisas como for mais conveniente, e aliás, eu não curto a globo -n
Essa é uma reclamação construtiva, eu apóio!
Beijos ;*

Mateus disse...

sou amigo do athos e morador da mesma cidade que ele... como o próprio, 'sofro de zuação' da galera da net e tolos acham que aqui é só mato e índios (como citado no post)... francamente, é necessário conhecer o X da questão para ter opiniões! conheçam Santarém, simples!

Anônimo disse...

Entendo que a matéria foi parcial, fragmentada e não reveladora de sua cidade. Mas vou além do que você percebeu, enfocando dois pontos de vista: 1. qual o problema de ser índio e qual é o problema de realmente viver no meio do mato? Entrei aqui porque é isto que quero no momento: viver na natureza, que seria o meio do mato, não é Se é preconceituosa a matéria, mais preconceituosa é a visão de que a vida no meio do mato ou a ancestralidade indígena seria depreciativa.
2. A onda de ignorância da mídia é reflexo do que esperamos dela. Não há interesse em revelar a arquitetura moderna do Pará, ou o pseudocaribe (?), assim como não é relevante sabermos sobre as megalópoles do continente africano ou o melhor mestrado da Colômbia ou da Croácia. África é safari, colômbia é cocaína, paraguai é falsificação e contrabando? Egito são só as pirâmides? Na Argentina um senhor letrado perguntou-me se comemos macacos no Brasil, visto que não teríamos bois por aqui. Há visão internacional do Rio que não seja carnaval ou paraíso para fugitivos de filmes? Disseram-me que há ruas calmas na capital em São Paulo, em que crianças brincam sozinhas, na tranquilidade das cidades de interior (não consigo imaginar, confesso...rss).
Estamos todos interessados no rótulo, nas embalagens - se não nos é apresentado isto rapidamente, o controle remoto é acionado e vamos para outro canal. Luciano Hulk ou Faustão são o reflexo do que o Brasil quer ver - e eu lamento.
Pouco conhecemos no sul do Brasil da cultura e da vida na sua cidade, convido-o a nos contar em seu blog como é. Com fotos que nos revelem a realidade que você vê, seja ela bela ou feia.
grande abraço aos brasileiros todos.
Cristiane